quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Ser professora é difícil e cidadão português também

Numa manhã, a professora pergunta ao aluno:
- Diz-me lá quem escreveu "Os Lusíadas"?
O aluno, a gaguejar, responde:
- Não sei, Sra. Professora, mas eu não fui.
E começa a chorar. A professora, furiosa, diz-lhe:
- Pois então, de tarde, quero falar com o teu pai.
Em conversa com o pai, a professora faz-lhe queixa:
- Não percebo o seu filho. Perguntei-lhe quem escreveu "Os Lusíadas"
e ele respondeu-me que não sabia, que não foi ele...
Diz o pai:
- Bem, ele não costuma ser mentiroso, se diz que não foi ele, é
porque não foi. Já se fosse o irmão...
Irritada com tanta ignorância, a professora resolve ir para casa e,
na passagem pelo posto local da G.N.R., diz-lhe o comandante:
- Parece que o dia não lhe correu muito bem...
- Pois não. Imagine que perguntei a um aluno quem escreveu "Os
Lusíadas". Respondeu-me que não sabia, que não foi ele, e começou a chorar.
O comandante do posto:
- Não se preocupe. Chamamos cá o miúdo, damos-lhe um "aperto", vai
ver que ele confessa tudo!
Com os cabelos em pé, a professora chega a casa e encontra o marido
sentado no sofá, a ler o jornal. Pergunta-lhe este:
- Então o dia correu bem?
- Ora, deixa-me cá ver. Hoje perguntei a um aluno quem escreveu "Os
Lusíadas". Começou a gaguejar, que não sabia, que não tinha sido
ele, e pôs-se a chorar. O pai diz-me que ele não costuma ser
mentiroso. O comandante da G.N.R. quer chamá-lo e obrigá-lo a
confessar. Que hei-de fazer a isto?
O marido, confortando-a:
- Olha, esquece. Janta, dorme e amanhã tudo se resolve. Vais ver que
se calhar foste tu e já não te lembras...


Isto é só para desanuviar dos graves problemas da sociedade. Beijinhos

5 comentários:

marsof81 disse...

Muito fixe!!!!!!!!!!!!!

Habiba disse...

Eh pá... tens que dizer ao marido dessa senhora qu não foi a mulher que escreveu mas sim eu! :P:P:P
Esta mt fixe, ehehe

Vanessa Guerra disse...

Leilão no meu blog amiga.. passa por lá pode ser que encontres alguma coisa que gostes e precises… beijinhos enormes

Tita disse...

mas é o estado da ignoracia da nossa sociedade e caminha para uma ignorancia pior, bjs
manda-me o print screen: marsilpires@hotmail.com
Ma´rcia

Mena disse...

Olá!
Adorei a história! Fez-me lembrar um episódio que se passou comigo, quando dei aulas em Óbidos. Estava a dar o texto não literário, mais precisamente os textos de comunicação social e pedi aos alunos que fizessem uma entrevista. Um decidiu fazer a sua entrevista a um trabalhador do campo e quis saber os conhecimentos que esse trabalhador tinha acerca dos nossos poetas e obras literárias. Uma das perguntas que o aluno fez foi se ele conhecia Camões, a que o senhor respondeu que não, mas que teria muito gosto em conhecer se lho apresentassem. Perguntou depois se sabia o que era uma epopeia e a resposta foi que não conhecia todas as marcas dos herbicidas. Os Lusíadas soava-lhe a um tipo de adubo qualquer. O miúdo, entretanto desesperado com a ignorância do sujeito, perguntou-lhe se conhecia algum escritor e ele respondeu que sim que o dono da mercearia lhe escrevia as cartas para o filho que estava no estrangeiro e escrevia muito bem e sem erros, pelo menos o filho não se queixava.
Enfim, também tenho histórias de respostas nos testes dos meus alunos que fico pasmada e irritada, porque eles estão por vezes com pouca atenção e dizem coisas que não lembram ao diabo. Hoje conto aos novos alunos essas respostas, dizendo-lhes por favor não me digam isto e eles riem... Depois conto-te algumas dessas respostas, agora isto já vai longo...
Há novidades no meu espacinho: um pouco de cultura, uma receitinha, um desafio e... Aparece.
Bj
Mena